O que é o Rosário Perpétuo (Hora de Vigília)

Definição

O Rosário Perpétuo é uma associação de pessoas pelas quais o Santo Rosário é recitado a toda hora, sem interrupção, do primeiro ao último dia do ano, a fim de prestarculto perpétuo a Maria e obter ajuda perpétua dela.

Esta associação forma a Guarda de Honra da Rainha dos Anjos. Os seus membros escolhem uma hora, durante a qual recitam um rosário completo, para se posicionarem na batalha como verdadeiros Cavaleiros de Maria.

Finalidade

A finalidade do Rosário Perpétuo será pedir a Deus, através de Maria, o bem de todos os fiéis em geral. Em particular, teve historicamente três propósitos: primeiro, a conversão dos pecadores; segundo, a boa morte dos moribundos e terceiro, a libertação das almas do Purgatório.
No entanto, reconhecendo a extraordinária gravidade dos dias atuais, sentimos a necessidade de atualizar os objetivos para os seguintes:

  1. O triunfo do Imaculado Coração de Mariae a libertação da humanidade das forças infernais e das seitas que cooperam com elas e são seus instrumentos.
  2. Aconversão dos pecadores e a salvação das almaspara a glória maior de Deus, conquistando o maior número possível de almas para a Imaculada Conceição para que, através do Seu Coração Imaculado, possam estar mais perfeitamente unidas ao Santíssimo Coração de Jesus e à Vontade de Deus.
  3. O restabelecimento da Ordo Christianus, única ordem capaz de garantir o verdadeiro bem espiritual e material do homem porque está de acordo com as leis que expressam a vontade do Criador. O restabelecimento da Ordem Cristã implica o desmantelamento das forças revolucionárias, a restauração da primazia da Verdade como princípio fundador do pensar e do agir (contra a apostasia, o modernismo teológico e o relativismo moral que se alastram dentro e fora da Igreja), a formação de um tecido social católico e de um sistema de governo que coloque em primeiro lugar as leis de Deus, como fundamento do verdadeiro bem comum.

Origem

A iniciativa é inspirada numa antiga Irmandade nascida por volta de 1630 pelo Padre Tommaso Ricci o.p. e restabelecida no Santuário de Nossa Senhora de Pompeia pelo Beato Bartolo Longo por volta de 1885. A ideia, originada da descoberta de um antigo livro do Beato Napolitano, é reviver esta Irmandade e, se possível, reavivá-la também do ponto de vista formal, restabelecendo desta forma um vínculo que certamente é significativo do ponto de vista do patrimônio espiritual.

Istituição (retirado do livro do Abençoado Bartolo Longo)

“A primeira ideia deste trabalho foi inspirada por um clérigo dominicano (Padre Tommaso Ricci), por volta de 1630. Este pensamento piedoso foi abençoado pelos Céus. No primeiro de janeiro de 1635, o padre dominicano Petronio Martini de Bolonha, que queria que a Virgem Maria fosse louvada continuamente, dia e noite, publicou o Rosário Perpétuo na Igreja de São Domingo de Bolonha, na qual repousa alegremente o corpo sagrado e virginal do Santo Patriarca. Ele deu ao povo todas as horas do ano, para que na hora que chegasse a eles por sorteio, eles pudessem recitar o Santo Rosário. É assim que o Padre Giovanni Demora dei Pred narra na sua Joia do Rosário, impressa em Crema em 1647; e assim na Bolla Postquam de Pio IX. Muitos Papas aceitaram, e mais de 60.000 pessoas da Cidade Santa participaram. Alexandre VII, Inocente XI, Clemente VII e Pio VI o favoreceram e o enriqueceram com indulgências. O número de associados tornou-se imenso. Só na Itália havia perto de um milhão de associados: à frente deles havia um grande número de bispos e mais de mil comunidades religiosas.“

Restauração(retirado do livro do Beato Bartolo Longo)

“Esta devoção já não existia entre nós: a Itália contava apenas algumas sobras. Os bispos da França e os padres dominicanos, em seus mosteiros, resolveram renová-la de forma mais regular e completa, a fim de cercar a Mãe de Deus como guarda de honra que assumiria a defesa de seu culto e seria a vingadora de seus inimigos. Este pensamento teve a sua execução, e desde o início foi coroado com grande sucesso. Mas depois os frades foram expulsos dos seus conventos, esta devoção sagrada foi extinta em vários lugares, ou estava viva apenas entre alguns seculares e alguns bons sacerdotes e religiosos zelosos. No entanto, temos de prestar merecidos elogios ao RR. PP. Dominicanos de Lyon em França, que sempre mantiveram vivo este exercício sagrado com folhetos e medalhas e publicações mensais, e em particular com o periódico La Couronne de Marie. Mas hoje, quando em quatro ocasiões, ao longo de dois anos, o Vigário de Jesus Cristo, o Sumo Pontífice Leão XIII, chamou todo o mundo católico de volta ao fervor da primitiva devoção ao Rosário, da maneira revelada a São Domingos (ou seja, com duas Encíclicas, de 1 de setembro). Setembro de 1883 Supremi Apostolatus Officio, e do ano superior de 30 de agosto de 1884, e com dois Livros Episcopais: Sulutarisille de 23 de dezembro de 1883, e o último de 20 de agosto de 1885); no Santuário nascente de Pompéia, esta associação do Terço Perpétuo foi estabelecida pela primeira vez, onde cada associado recita o Terço perfeitamente como a Santíssima Virgem o ensinou, ou seja, de 15 postos com meditação sobre os 15 Mistérios”.

Atualidade(retirado do livro do Abençoado Bartolo Longo)

“A primeira prerrogativa de uma obra é que ela se preocupa com a atualidade, ou seja, com as necessidades atuais da época: é por esta qualidade que ela se enraíza na sociedade em que vive e na qual faz o bem. É fácil reconhecer no Rosário Perpétuo uma obra inteiramente preocupada com os acontecimentos atuais: :

Porque é uma oração contínua pelo mundo que não reza mais, enquanto a Sagrada Escritura nos dá a certeza de que as orações são respondidas por Deus quando elas são contínuas.

Porque é uma fonte de graças para regenerar nossa sociedade gangrenada, pois foi uma promessa solene que Nossa Senhora fez a São Domingos, que com o Rosário de 15 postos toda heresia seria extinta, o inferno derrotado, o pecado retirado da sociedade, a paz restaurada às famílias, a virtude florescida novamente no povo.

Porque ela torna Maria conhecida e glorificada nestes dias em que, tendo crescido em impiedade diminuindo a fé e a obediência às autoridades da Igreja, a clemente Rainha do Universo erigiu no Vale de Pompéia seu trono de misericórdia, do qual concede infinitas graças a seus filhos que a invocam com o cântico mais amado ao seu coração, com a coroa dos 15 postos..

Porque ela nos oferece como guarda de honra para defendê-la dos insultos de seus inimigos, hoje em particular, que mãos e bocas sacrílegas ofendem a Imaculada Mãe de Deus.

Porque defende a Igreja militante agora como em outros tempos, sendo o Rosário a Torre de Davi, a ponte de salvação da sociedade e da Igreja, o flagelo do diabo..

Porque consola a Igreja sofredora, dando o Rosário aos padres e bispos a força necessária para combater o erro, e para manter a fé firme entre as famílias cristãs, libertando da prisão do Purgatório tantas almas que são esposas de Jesus Cristo..

Porque revive e prospera a Irmandade do Rosário, recebendo através desta associação muitas graças da Rainha das Vitórias, e desta forma todos se sentem movidos a pertencer à Irmandade, que é tão querida pela Santíssima Virgem.”.”

Indulgências (retiradas do livro do Beato Bartolo Longo)

“Além das Indulgências ligadas à recitação do Rosário, tanto para os Confrades como para os fiéis que não são membros da Confraria do Rosário, existem Indulgências especiais, todas elas plenárias. Indulgência plenária em associar-se por uma hora ao Rosário Mensal (Gregório XVI, 23 de janeiro de 1844). Outra Indulgência Plenária no dia designado para a hora do Rosário Perpétuo, sempre após a Confissão e Comunhão. .

E finalmente o Sumo Pontífice de F. M. Pio IX com o seu Breve de 13 de abril de 1867, que começa, Postquam, Deomanente concedeu a Indulgência Plenária uma vez por mês (para poder aplicar-se às almas do Purgatório). Todos os fiéis, que à hora que lhes for designada, recitarão o Rosário inteiro com devoção, receberão a Sagrada Comunhão naquele dia. Com o mesmo Breve ele também concedeu indulgência plenária aos Prefeitos de Divisões e Seções no dia de sua entrada em funções (nas condições acima); e outros 300 dias a serem ganhos cada vez que eles inscreverem outros na associação.“

Outros benefícios(retiradodo livro do Abençoado Bartolo Longo)

“1° Uma proteção especial contínua de Maria. 2° A união das orações e intenções de milhares de associados em todos os momentos da vida; pois temos uma participação especial nos inúmeros rosários que são recitados a cada momento do dia e da noite. Se estamos em estado de pecado, milhares de vozes estão pedindo nossa conversão a cada momento. Quando a hora suprema soar para nós, seremos assistidos por uma infinidade de orações. Se descermos ao Purgatório; numerosos e poderosos sufrágios exigirão incessantemente nossa libertação”.